fbpx
Simplificando: Previdência Complementar Aberta x Previdência Complementar Fechada

Simplificando: Previdência Complementar Aberta x Previdência Complementar Fechada

Existem dois tipos de Previdência Complementar – Aberta e Fechada -, que, apesar de compartilharem o mesmo objetivo, são muito diferentes entre si. Entender muito bem cada um deles é fundamental para decidir o melhor investimento para o seu futuro. Vamos conhecê-los?

 

O que é Previdência Complementar

Antes de tudo, vale relembrar brevemente que a Previdência Complementar tem como objetivo reforçar a renda mensal do trabalhador na aposentadoria, sendo um benefício adicional ao da previdência oficial.

A adesão a qualquer Plano de Previdência Complementar é facultativa. O benefício pago ao Participante é calculado com base nos recursos acumulados por meio de contribuições individuais feitas pelo trabalhador ao longo dos anos.

 

Previdência Complementar Aberta

A Previdência Complementar Aberta tem como principal característica a possibilidade de ser contratada por qualquer pessoa física ou jurídica, seja para si ou para terceiros, como filhos, dependentes e colaboradores.

Os Planos de Previdência Complementar Aberta são operados com fins lucrativos por Entidades Abertas de Previdência Complementar (EAPC). A sua comercialização fica por conta de bancos, seguradoras e outras instituições financeiras.

As duas modalidades de Planos mais comuns são o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). A diferença entre eles diz respeito à forma como o Imposto de Renda (IR) é cobrado sobre os valores aplicados e seus respectivos rendimentos.

O PGBL é indicado para quem já contribui para a Previdência Social ou opta pela declaração completa do Imposto de Renda. Já o VGBL vale principalmente para quem é isento de IR, faz a declaração simplificada ou não contribui para a Previdência Social – já fizemos um post bem completo explicando cada modalidade.

Quem regula e fiscaliza a Previdência Complementar Aberta é a Superintendência de Seguros Privados (Susep).

 

Previdência Complementar Fechada

Os Planos de Previdência Complementar Fechada são oferecidos por empresas, entes públicos e pessoas jurídicas de caráter profissional, classista ou setorial, como sindicatos, conselhos profissionais e cooperativas, a seus empregados ou associados. Ou seja, são restritos a grupos fechados, ficando indisponíveis para o público em geral.

Estes planos são geridos por Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC), como a BB Previdência. Diferentemente das Abertas, elas atuam sem fins lucrativos – o que, em geral, leva a taxas mais competitivas e atraentes para os Participantes.

Existem dois tipos de Planos de Previdência Complementar Fechada. O Plano Patrocinado é aquele oferecido por uma empresa ou ente público aos seus colaboradores. Nesta modalidade, o empregador é chamado de Patrocinador por contribuir junto com os Participantes.

Já o Plano Instituído é disponibilizado por sindicatos, conselhos profissionais, cooperativas e afins aos seus associados. Neste caso, no entanto, não há contribuição por parte dos Instituidores.

Uma importante característica da Previdência Complementar Fechada é o benefício fiscal, que possibilita deduzir do Imposto de Renda as contribuições feitas para o Plano, até o limite de 12% da sua renda tributável. Na Previdência Complementar Aberta, somente os Planos tipo PGBL permitem tal benefício.

A Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) é o órgão responsável por supervisionar e fiscalizar as EFPC.

Conhecer a fundo o seu Plano de Previdência Complementar é o caminho para o melhor investimento possível na sua aposentadoria. Confira mais conteúdos aqui no blog e também nas redes sociais da BB Previdência.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *